faleconosco@oncotrata.com.br

Notícias

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o primeiro tratamento de imunoterapia para pacientes com câncer de mama no país. O registro do atezolizumabe foi publicado na última segunda-feira, 13/05, no Diário Oficial da União.

Esse tipo de terapia aumenta a sobrevida de mulheres com um tipo de câncer de mama específico, o triplo-negativo, relativamente raro e que constitui o subtipo mais grave dos tumores de mama. Isso representa cerca de 15% dos tumores de mama, que são normalmente tratados com quimioterápicos tradicionais, pouco eficazes contra a doença metastática. De acordo com Dr. Sergio Simon, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), dentro desse grupo de pacientes com câncer triplo-negativo, 40% irão se beneficiar desse tratamento. Isso é definido pela expressão da proteína PD-L1, um receptor localizado na superfície das células imunes que indica a possibilidade de sucesso com o tratamento de imunoterapia.

Pacientes oncológicos devem tomar a vacina da gripe

Com a chegada do outono e a aproximação do inverno, temperaturas mais baixas passam a fazer parte dos nossos dias. Sendo assim, o clima fica propício para a transmissão de vírus e para a proliferação de fungos e bactérias.

 A Gripe causada pelo H1N1 tem sintomas semelhantes à infecção causada pelos outros subtipos do vírus Influenza (subtipo A H3N2 e subtipos B), porém algumas pessoas como idosos, crianças, gestantes e indivíduos com doenças crônicas possuem um risco maior de desenvolver complicações.

 A vacinação é a melhor e mais segura forma de se proteger contra a doença e suas implicações. Entretanto, existe sempre a dúvida:


 Todos os anos, a oferta de chocolates, peixes e vinhos costuma aumentar durante o período de Páscoa. Por isso, fomos consultar a nossa nutricionista, Fernanda Bortolon, sobre recomendações gerais para a dieta dos pacientes que estão passando por tratamento oncológico.

Veja o que ela nos diz:

Natalia Schopf Frizzo

Aquilo que é bom, e de verdade, e forte, e importante – coisa ou pessoa – na sua

vida, isso não se perde.

Caio Fernando Abreu

 

Mesmo que a condição de saúde perca inicialmente para a nova condição de doença, podemos salvar a mente, enquanto o corpo recobre, por meio do tratamento, seu equilíbrio.

Contudo, mesmo diante das drogas mais potentes para combate ao câncer, alguns pontos de apoio podem favorecer melhores resultados, ou contribuírem para um pior enfrentamento da enfermidade. E tais pontos não necessariamente surgem a partir do diagnóstico, mas sim se constituem parte de tudo que somos, e aí sim, a partir da notícia da doença, temos uma nova chance de modificá-los.

É consenso entre os especialistas que as pessoas em tratamento do câncer devem usar proteção solar contínua. Entre os motivos estão as lesões e o escurecimento da pele, que são efeitos colaterais da quimioterapia e radioterapia, o que pode ser potencializado pela exposição ao sol.

Apesar de ser fundamental para a saúde, o Sol emite um volume de radiação que pode ser muito nocivo ao ser humano. Falamos dos raios ultravioleta, que podem ser de 3 tipos: A, B e C. Comparativamente, os raios UVC são filtrados pela atmosfera, porém os UVA e UVB atingem plenamente a superfície da Terra.

 

O Dia Mundial do Câncer foi instituído no ano de 2005 pela União Internacional pelo Controle do Câncer e possui apoio da OMS. O dia 4 de fevereiro é a data escolhida para essa campanha que tem por objetivo aumentar a consciência e educação sobre a doença.

Para nós, da Oncotrata, a palavra do paciente sobre a sua trajetória, suas lutas, vitórias e revezes na batalha contra o câncer é de fundamental importância, pois cada indivíduo é único e merece ser ouvido, acolhido e respeitado de acordo com as suas necessidades.

Conheça um pouco do que pensa e sente alguns dos nossos pacientes sobre o caminho que os trouxe até aqui.