faleconosco@oncotrata.com.br

Notícias

Energia liberada pelas mãos consegue curar malefícios, afirma pesquisa da USP

Um estudo desenvolvido recentemente pela USP (Universidade de São Paulo), em conjunto com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), comprova que a energia liberada pelas mãos tem o poder de curar qualquer tipo de mal estar. O trabalho foi elaborado devido às técnicas manuais já conhecidas na sociedade, caso do Johrei, utilizada pela igreja Messiânica do Brasil e ao mesmo tempo semelhante à de religiões como o espiritismo, que pratica o chamado “passe”.

Talvez você já tenha lido ou ouvido à exaustão que atividade física faz bem a saúde e ajuda, inclusive, a prevenir o câncer. Mas por que exatamente, os exercícios têm toda essa influência sobre a doença? Na verdade, não há ainda uma resposta fechada para este assunto, mas as teorias mais plausíveis destacam que a prática diária tem impacto em duas frentes: no bloqueio e redução da carcinogênese do tumor, ou seja, na formação e progressão tumoral, e também na angiogênese, que é a proliferação dos vasos que nutrem o tumor (eles só crescem na dependência da formação desses vasos).

Angelina Jolie mais uma vez foi notícia no mundo, ao anunciar que retirou na última semana os ovários e as trompas de falópio, após serem detectados sinais precoces de câncer. A atriz de 39 anos já havia feito uma cirurgia preventiva de retirada das mamas em 2013, por conta de mutação no gene BRCA1. Os casos hereditários de câncer, como o da mulher de Brad Pitt, respondem apenas por 10% da incidência da doença. Os outros 90% são casos esporádicos, adquiridos durante a vida por causa do contato com agentes físicos (raios solares, por exemplo), químicos (cigarros e bebidas) e biológicos (vírus como o HPV)”, explicou o cirurgião oncologista Ademar Lopes, vice-presidente do A.C.Camargo Câncer Center. De acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer), de 3 a 4 milhões de casos poderiam ser evitados no mundo apenas com mudança na alimentação.

A obesidade aumenta em até 40% as chances de mulheres desenvolverem sete tipos de câncer. É o que sugere uma recente pesquisa da organização britânica Cancer Research UK. O risco aumentam para o desenvolvimento de câncer de intestino, câncer de mama depois da menopausa, de vesícula biliar, rins, pâncreas, útero e câncer de esôfago.