faleconosco@oncotrata.com.br

Notícias

 Fernanda S. Bortolon
Nutricionista
CRN 26210

 

O tratamento oncológico contra o câncer de mama pode acelerar a menopausa e os seus sintomas. E com isso vem uma desaceleração do metabolismo, tornando mais difícil manter o peso. A menopausa também leva ao aumento de gordura corporal e diminuição da massa muscular.

 

Natalia Schopf Frizzo
Psicóloga

CRP 07/21597

 

Na perspectiva existencial, convivem quatro mundos distintos, porém simultâneos, nos quais o homem existe. Há o mundo-ao-redor (biofísico), o ser-com-os-outros (relacionamentos), o mundo-próprio (subjetivo), o mundo-com-o-desconhecido (transcendente/espiritual). Neste cenário, o atravessamento imposto pela doença na biografia de um sujeito inflige diferentes condições e horizontes existenciais, que exigirão forte atenção para a experiência presente a fim de reorganizar o projeto de ser–no-mundo.

 

Anualmente, no terceiro sábado de setembro, comemora-se o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. A data foi criada pela Associação Mundial dos Doadores de Medula Óssea em comemoração à marca de 25 milhões de doadores registrados no mundo.

O transplante de medula óssea pode beneficiar diversas doenças em diferentes estágios. São elas: leucemias, anemias graves, linfomas, imunodeficiências congênitas, erros inatos de metabolismo, hemoglobinopatias, mieloma múltiplo e doenças autoimunes, por exemplo.

Bárbara Camacho
Fisioterapeuta
CREFITO 216461

 

 

O Dia Mundial da Fisioterapia foi comemorado no dia 08 de setembro. A fisioterapia na área da oncologia, atua com o objetivo de preservar, manter, desenvolver e restaurar a integridade cinético funcional do indivíduo. Trabalhamos na prevenção dos distúrbios que podem ser causados pelo tratamento oncológico.

 

O termo Meditação vem do latin “meditatum”, que significa “ponderar”, consiste na concentração da mente como forma de promover o bem-estar geral.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece a meditação como um método para a prevenção de doenças. A prática tem como objetivo acalmar corpo e mente para o desenvolvimento da consciência do aqui e do agora e, além de promover o relaxamento físico e mental, auxilia na busca do auto-conhecimento.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o primeiro tratamento de imunoterapia para pacientes com câncer de mama no país. O registro do atezolizumabe foi publicado na última segunda-feira, 13/05, no Diário Oficial da União.

Esse tipo de terapia aumenta a sobrevida de mulheres com um tipo de câncer de mama específico, o triplo-negativo, relativamente raro e que constitui o subtipo mais grave dos tumores de mama. Isso representa cerca de 15% dos tumores de mama, que são normalmente tratados com quimioterápicos tradicionais, pouco eficazes contra a doença metastática. De acordo com Dr. Sergio Simon, presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), dentro desse grupo de pacientes com câncer triplo-negativo, 40% irão se beneficiar desse tratamento. Isso é definido pela expressão da proteína PD-L1, um receptor localizado na superfície das células imunes que indica a possibilidade de sucesso com o tratamento de imunoterapia.